Quando a Luz se Apaga

18 de Outubro de 2018, por

Resumo

Título:

Quando a Luz se Apaga (The Feed)

Autor:

Nick Clark Windo

Editora:

🇵🇹 Topseller

Páginas:

384

Publicação:

2018

ISBN:

9789898869982

Preço:

🇵🇹 18,79€

Avaliação:

Antes de mais nada, é válido dizer que Quando a Luz se Apaga é um livro extremamente relevante nos dias de hoje, quando passamos a pensar — ou repensar — que tipo de interações virtuais queremos construir. Mostra com extrema frieza o quanto estamos dependentes da tecnologia e o quanto mais ainda podemos ficar. E, mais importante, atinge em cheio as discussões sobre privacidade nas redes sociais e seus impactos nas nossas vidas, e as ansiedades do mundo moderno causadas pela dependência extrema da tecnologia.

O mundo é demasiado grande, e nós demasiado pequenos. Temos que corrigir as nossas expectativas.

A história é ambientada em um futuro não muito distante, onde as pessoas podem instalar, diretamente em seus cérebros, uma tecnologia de mídia social chamada “Feed”. O Feed está acessível em todos os lugares, por todos, a qualquer momento. Ele instantaneamente nos liga a todas as informações e eventos globais à medida que eles acontecem. Toda interação, toda emoção, toda imagem pode ser compartilhada através dele, como telepatia. Como diz o próprio autor, a Torre do Feed é como “o buraco de uma agulha através do qual toda a gente passa”.

Toda a acção de Quando a Luz se Apaga se dá através dos olhos do casal Tom e Kate. Tom é uma espécie de filho rebelde do inventor do Feed, dotado de muitos motivos para odiar a ferramenta. Já a sua esposa Kate é usuária voraz da ferramenta, apreciando, por exemplo, a possibilidade de rastrear sua gravidez através do Feed (com todos os dados possíveis e imagináveis ao alcance em milésimos de segundo). Mas quando aparentemente sem motivos o Feed deixa de funcionar, a sociedade se desintegra rapidamente. Depois que a filha de 6 anos de Tom e Kate desaparece, eles partem para encontrá-la, embarcando em um mundo perigoso, onde a mente de alguém pode ser dominada pela misteriosa presença que ainda se esconde no Feed.

O mundo ficou de joelhos quando o Feed veio abaixo. Quando o homem chegou a casa, encontrou-a vazia. E o homem não consegue lembrar-se da cor dos olhos do filho, muito menos do som da sua voz. Era tudo… demasiado doce… para armazenar.

E esse Colapso (é assim que o chamam a queda do Feed) acontece logo no início do livro, gerando uma certa frustração pelo fato de essa tecnologia sair de cena tão drasticamente. Mas é incrível como Nick Clark Windo consegue ir apresentando-a aos poucos, mesmo depois do colapso. Alternando brilhantemente as visões dos fatos entre os personagens, consegue criar momentos de flashback dignos de cinema.

Não admira que Quando a Luz se Apaga já esteja sendo adaptada para as telas (série produzida pela Amazon com o título original The Feed). Também não admira que a adaptação tenha um roteirista de The Walking Dead. Apesar de as premissas das histórias serem bastantes distintas, algumas passagens são incrivelmente parecidas, e a narrativa ágil e centrada nos personagens torna impossível não fazer uma série de associações.

Com críticas ao uso excessivo de publicidade nas mídias sociais, Windo é bastante incisivo sobre a falsa ilusão de progresso que a tecnologia pode trazer, ao mesmo tempo em que é responsável direta pela degeneração do meio ambiente e do clima mundial. A tecnologia, o que podemos fazer dela, ou até mesmo a falta dela (muito explorada após o colapso do Feed) é, sem dúvida, o fio condutor dessa trama apocalíptica e assustadoramente plausível, inclusive nas reviravoltas de Quando a Luz se Apaga.

Parece que nós, humanos, estamos mais uma vez equilibrados. A energia que temos é agora apenas a nossa. Sem botões para premir, ou armas para disparar, e o impacto de cada pessoa é somente o seu. Reencontrámos a nossa humildade.

A frase acima só é possível no mundo pós-apocalíptico criado pela série de eventos da trama. E como se chega a futuro é, na minha visão, a grande mensagem do autor. Mostra-nos, como espécie, em busca do que acreditamos ser o melhor para nós mesmos, sem pensar muito no impacto das nossas acções no âmbito global. Aqui já não posso explicar muito sem cair em spoilers, mas a verdade é que, como questionaria Kate em uma das suas diversas pools, quando parece não haver saída, “o que sacrificarias” para seguir adiante?

Quando a Luz se Apaga é um livro intrigante e instigante. Como em muitos romances distópicos, tem um tom preventivo, trazendo uma ótima reflexão sobre a vida cada vez mais virtualizada que levamos e os possíveis impactos futuros desse uso desenfreado da tecnologia.

Nenhum Comentário Ainda

Deixe aqui a sua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.