Detalhes do Autor

Markus Zusak

Filho de pai austríaco e mãe alemã, o autor australiano decidiu escrever A menina que roubava livros a partir da experiência dos pais sob o nazismo em seus países de origem. Markus Zusak realizou ampla pesquisa sobre o tema na própria Alemanha, checando informações em Munique e visitando o campo de concentração de Dachau. Algumas histórias da ficção são recordações de infância da mãe. Eu sou o mensageiro rendeu-lhe os prêmios Livro Jovem do Ano, da Publisher's Weekly, e Livro do Ano para Leitores mais Velhos, concedido pelo Conselho Australiano de Livros Infantis. A menina que roubava livros o consagrou internacionalmente, liderando as listas de livros mais vendidos do jornal The New York Times.

Livros do Autor resenhados

Eu Sou o Mensageiro
Romance / 7 de Abril de 2010

Venha conhecer Ed Kennedy. Dezenove anos. Um perdedor. Seu emprego: taxista. Sua filiação: um pai morto pela birita e uma mãe amarga, ranzinza. Sua companhia constante: um cachorro fedorento e um punhado de amigos fracassados. Sua missão: algo de muito importante, com o potencial de mudar algumas vidas. Por quê? Determinado por quem? Isso nem ele sabe. Depois de ficar extasiado com A Menina que Roubava Livros fiquei bastante curioso para ler Eu Sou o Mensageiro. Queria saber se era um acerto ocasional do autor ou se o cara é bom mesmo. Pois o cara é bom mesmo. Em Eu Sou o Mensageiro, escrito antes A Menina que Roubava Livros, Zusak já nos traz a sua escrita peculiar. Não tive problemas com o início de A Menina que Roubava Livros, que muita gente reclama de ser lento e/ou confuso. Mas em Eu Sou o Mensageiro‘confesso ter dado um empurrão para continuar a leitura. Mas depois que você entra no ritmo, não para mais. É contagiante. Acho que essa dificuldade nos inícios desses livros de Zusak se dá por causa da sua escrita. Ele escreve para o leitor. Melhor, ele fala com o leitor. Ed Kennedy, o mensageiro, não apenas conta…