Detalhes do Autor

Patrícia Melo

Patrícia Melo é romancista, dramaturga e argumentista. Publicou Acqua Toffana (1994), O Matador (1995), vencedor dos Prêmios Deux Océans e Deutsch Krimi, nomeado para o Prix Femina de romance estrangeiro, adaptado ao cinema em 2003 com o título O Homem do Ano, O Elogio da Mentira (1998), Inferno (2000), vencedor do Prémio Jabuti e nomeado para o Foreign Fiction Prize 2003, Inglaterra, e Valsa Negra (2003). Em 1999 a Time Magazine inclui-a entre os cinquenta "Latin-American Leaders for the New Millenium". As suas obras estão traduzidas em Inglaterra, França, Alemanha, Itália, Espanha, Holanda, Grécia, Finlândia e China, entre outros países.

Livros do Autor resenhados

Ladrão de Cadáveres
Romance Policial / 24 de Agosto de 2010

Vamos à primeira resenha fruto das minhas compras na Bienal do Livro de São Paulo. O primeiro livro que peguei pra ler foi Ladrão de Cadáveres, da Patrícia Melo. Talvez a ordem em que eu coloquei os livros no post sobre a Bienal indiquem minha ordem de leitura. Talvez não. O fato é que eu sou fã incondicional de romances policiais, seja estrangeiro ou nacional. Acho que é o gênero que mais me faz ler autores nacionais, como Rubem Fonseca, Patrícia Melo, Luiz Alfredo Garcia Roza, Flávio Carneiro, Tony Bellotto, Rubens Figueiredo, entre outros. Enfim, vamos ao livro. Ladrão de Cadáveres fala principalmente sobre perdas em diferentes aspectos: da referência moral, afetiva, e também da morte. Mas, como não poderia deixar de ser em um romance de Patrícia Melo, fala sobre violência, impunidade e a maldade intrínseca da humanidade. O narrador-protagonista do romance é um ex-gerente de uma central de telemarketing, despedido depois de agredir uma funcionária que acabou cometendo suicídio. Deprimido, ele troca São Paulo por Corumbá a convite de um primo. A trama começa quando o protagonista testemunha a queda de um avião no rio Paraguai. Dentro da cabine, o piloto está morto. Ao lado do corpo, uma…